Deiscência

Se eu voltasse no tempoTalvez cosesse a curaNem corda de violão,As feridas, suturaMal-estar não se contémNunca cessa, se atura Poema escrito em 26 de fevereiro...